Hipotonia – O que é? Causas, Sinais, Sintomas, Tratamento, Diagnostico!


A Hipotonia é um termo médico que tem como objetivo caracterizar a diminuição do tônus muscular que pode afetar tanto crianças, como adultos.

O que é Hipotonia?

A Hipotonia é a diminuição do tônus muscular (que é o estado de tensão elástica que apresenta o músculo em repouso, e que lhe permite iniciar a contração rapidamente após o impulso dos centros nervosos), que também está associado a perca da força muscular, causando moleza e até mesmo a flacidez.

A Hipotonia não tratada de forma adequada pode causar diversos problemas, principalmente na região do quadril. Essa condição pode ser identificada no nascimento e observada durante a infância, pois quando nasce o bebê parece um boneco, não tendo capacidade de manter os joelhos e cotovelos firmes.

A Hipotonia afeta até em hábitos diários, onde a criança terá dificuldades para comer e realizar outras atividades motoras, como segurar objetos, por exemplo.

Causas da Hipotonia

A Hipotonia pode ser facilmente identificada e diagnosticada pois causa efeitos significativos na força muscular, nos nervos motores e no cérebro, por isso descobrir qual a doença que está causando é um pouco mais difícil, pois existem uma variedade de doenças que podem causar a Hipotonia.

Hipotonia tratamento


A principal causa está relacionada á doenças hereditárias, porém também podem surgir devido a lesões ou até mesmo sem nenhuma causa específica. Confira abaixo algumas causas da Hipotonia:

  • Paralisia cerebral (afeta o movimento do corpo e a coordenação muscular);
  • Distrofia muscular (causa fraqueza progressiva e perda de massa muscular);
  • Síndrome de Down (doença genética do cromossomo 21 que causa atrasos de desenvolvimento e intelectuais);
  • Síndrome de Prader-Willi (doença genética que causa obesidade, deficiência intelectual e perda de estatura);
  • Doença de Tay-Sachs (destrói as células nervosas do cérebro e da medula espinhal);
  • Trissomia 13 (Condição em que uma pessoa tem um cromossomo 13 a mais);

Em crianças que nascem com o sintoma da Hipotonia, mas não possui nenhuma doença relacionada, é considerada hipotonia congênita benigna, onde a criança poderá contar com tratamentos físicos para ajudar as crianças a ganharem  tônus muscular e continuarem se desenvolvendo.

Normalmente essas crianças terão atrasos de desenvolvimento e dificuldades de aprendizagem que podem prosseguir ao longo de toda a infância.

Sinais

Hipotonia sinais

A hipotonia pode ser diagnosticada no nascimento, porém alguns de seus sintomas podem ser percebidos quando o bebê for mais velho. Caso você perceba que o seu bebê não está evoluindo no mesmo ritmo de outras crianças de sua idade, você deve marcar uma consulta com o pediatra.

Outros sinais marcantes são:

  • Pouco ou nenhum controle dos seus músculos do pescoço (a cabeça do bebê não consegue ficar parada, caindo sempre para trás, para frente ou para os lados);
  • Sensação de flacidez (falta de tonicidade da pele ou músculo e refere-se ao estado mobilizado, frouxo ou lânguido do tecido);
  • Quando os braços e as pernas da criança ficam pendurados em linha reta para baixo, não dobrando os seus joelhos, cotovelos e quadris;
  • Voz suave e dificuldade para gritar;
  • Lentidão em determinados marcos do desenvolvimento de uma criança (sentar, engatinhar, falar, andar);

Os adultos podem apresentar alguns problemas como; falta de jeito, caindo com frequência, tendo dificuldade em sentar, deitar ou cair, assim como levantar objetos, devido a fraqueza muscular.

Sintomas da Hipotonia

A hipotonia é mais comum em crianças, porém ela pode surgir em casos raros, em qualquer idade. Os principais sintomas são:

  • Impossibilidade de controlar a cabeça de forma total ou parcial;
  • Dificuldades para andar;
  • Dificuldades para segurar objetos;
  • Fraqueza;
  • Dificuldades para falar;
  • Postura debilitada;

Tratamento da Hipotonia

O tratamento da hipotonia irá depender da sua causa, onde a hipotonia devido ao nascimento prematuro do bebê, poderá melhorar conforme o bebê for ficando mais velho, porém é necessário um apoio especializado durante esse período.

Quando a hipotonia é devida a algum tipo de infecção, os sintomas podem desaparecer com a infecção tratada.

Quando a cura não ocorre naturalmente ou com o tratamento paralelo de outras doenças, a fisioterapia, terapia ocupacional e terapia da fala e linguagem, podem ajudar na melhoria dos sintomas, porém na maioria dos casos a cura não é possível.

De acordo com as habilidades da criança, primeiramente serão definidos objetivos específicos, como sentar, andar ou praticar esportes. Existirá situações, onde a criança pode precisar de ajuda com a coordenação motora e outros movimentos finos.

Em casos graves, haverá necessidade de cadeira de rodas para ajudar as crianças a se movimentarem. A hipotonia pode provocar complicações como o deslocamento frequente de articulações, onde poderá haver necessidade de talas ou gessos para corrigir e prevenir esses tipos de lesões.

Diagnóstico

Quando a hipotonia é identificada em um recém-nascido ou em uma criança através do pediatra, será feito uma referência a um neurologista para melhor avaliação. Um indicador é que a criança não atinge os padrões de desenvolvimento.

O diagnóstico se dá por várias vertentes como exames de sangue, biópsia muscular, tomografia computadorizada, eletromiografia, ressonância magnética e testes genéticos.

Hipotonia causas

Expectativas

Ter a hipotonia é uma condição permanente, porém não é necessário uma demanda de tratamento para o resto da vida. Exceto por disfunções neuromotoras ou no cerebelo, por isso é uma condição desafiadora.

Quando o indivíduo é diagnosticado com hipotonia, se faz necessário aprender formas de desenvolver atividades diárias. Por isso terapias poderão auxiliar esse processo. Onde ao longo do tratamento, conseguirá realizar os mesmos movimentos de uma pessoa que não tem essa condição.

É necessário muita força de vontade para não desanimar. Pois quanto mais você praticar os movimentos e seguir todas as orientações médicas, mais fácil será conviver com essa condição.

Pergunta dos leitores

Quem tem Hipotonia precisa fazer fisioterapia?

Sim, pois a fisioterapia é fundamental para melhorar o tônus muscular e também ajuda a evitar contraturas. A fisioterapia te como objetivo melhorar a postura do indivíduo. Assim como a sua coordenação (força para segurar objetos), fortalecendo os músculos. Por isso exercícios regulares da fisioterapia são importantes para quem tem hipotonia.

Hipotonia tem algo a ver com a síndrome de down?

A  Síndrome de Down (que é uma doença genética com uma anormalidade cromossômica. Que leva a defeitos cardíacos, retardamento mental e complicações neurológicas) pode ser uma das causas de hipotonia. Assim como outras doenças genéticas.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...