Frequência cardíaca – Tudo que você precisa saber!


Determinada pelos batimentos do coração, a frequência cardíaca é obtida a partir dos pulsos gerados por esses batimentos. Cada vez que o coração bate, o sangue é bombeado para os vasos sanguíneos fazendo com que eles se expandam, são os pulsos.

Para medir a frequência cardíaca é preciso sentir esses pulsos e contar quantas vezes o coração bate em um determinado tempo, o resultado é a frequência cardíaca. Uma forma simples de medir é sentir esses pulsos, que são encontrados, principalmente, nos punhos e veia carótida do pescoço.

O tempo de contagem desses pulsos pode ser em segundos, multiplicados por uma variante (ver lista abaixo), ou por um minuto.

  • 10 segundos, multiplicar por 6
  • 15 segundos, multiplicar por 4
  • 30 segundos, multiplicar por 2

O resultado deverá ser considerado pelos batimentos por minuto (BPM), tempo utilizado como parâmetro.

  • Um adulto possui uma frequência cardíaca entre 70 e 90 bpm.
  • Um recém-nascido, até os 2 anos, apresenta uma frequência entre 120 e 140 bpm e, a partir do 8 anos, até a adolescência, essa frequência cardíaca pode variar entre 80 e 100 batimentos.
  • Já, em atletas e idosos, essa frequência varia entre 50 e 60 bpm. Quando estamos dormindo, ela pode cair para 40 batimentos por minuto.

Sabe-se que quanto menor a frequência cardíaca, maior a saúde do coração, por isso, ela é monitorada pelos profissionais da saúde e principalmente por profissionais que trabalham com atividades físicas e esportes.

Monitoramento da frequência cardíaca

A frequência cardíaca varia de indivíduo para indivíduo podendo alterar de acordo com as atividades desenvolvidas, qualidade do sono, hábitos de alimentação, estado físico ou stress. Esse monitoramento é efetuado através da frequência cardíaca máxima, frequência cardíaca de repouso e frequência cardíaca de recuperação.

O monitoramento auxilia na definição da saúde do coração e no diagnóstico de diversos problemas, incluindo-se as doenças cardíacas. Se alterada, a frequência cardíaca pode vir acompanhada de pressão alta, tontura, mal estar, indicando a necessidade do monitoramento ser efetuado por um cardiologista.

Outra função do monitoramento da frequência cardíaca, é a indicação da intensidade da atividade física, sua alteração pode significar que você extrapolou o nível de esforço suportado por seu organismo.

Classificações da Frequência Cardíaca

Frequência Cardíaca de Repouso

A contagem do número de batimentos cardíacos quando o indivíduo está em completo repouso determinará a frequência cardíaca. Essa contagem deve ser realizada ao acordar ou após 5 minutos do despertar, na posição sentado (a).

A frequência cardíaca de repouso é utilizada como parâmetro quanto aos níveis de saúde do coração. Se o indivíduo não tiver nenhum problema cardíaco, quanto menor o número de batimentos, maior a saúde do coração.

Frequência cardíaca máxima (Fcmáx)

A frequência cardíaca máxima é definida a partir do número máximo de batimentos cardíacos por minuto ao submetermos o corpo a um grande esforço físico.

Para estabelecer a frequência cardíaca máxima, levemos em conta que para cada ano vivido, o coração bate uma vez a menos por minuto e varia entre homens e mulheres.

Aplicando-se as fórmulas: 220 menos a idade (homens) e 226 menos a idade (mulheres), obtém-se a frequência cardíaca máxima. Por exemplo: um homem com 18 anos, a frequência cardíaca máxima será de 202 bpm (220-18), e a da mulher será de 208 bpm (226-18).

Frequência Cardíaca de Recuperação

Após dois minutos da realização de atividades físicas, a frequência cardíaca diminui para o nível de repouso. Assim, para se determinar a frequência cardíaca de recuperação subtrai-se da frequência cardíaca máxima o número de batimentos cardíacos dois minutos após o término da realização da atividade.

Por exemplo: Fcmáx igual a 135 após a realização de uma atividade física ou esporte, em dois minutos a frequência cardíaca é de 95, subtraindo-se 95 bpm de 135 bpm, teremos uma recuperação cardíaca de 40.

Variações na frequência cardíaca

Cada indivíduo possui uma frequência cardíaca definida de acordo com a idade, o IMC (Índice de Massa Corporal) e o estado físico. Dados como sedentarismo ou a prática de atividades físicas regulares também são relevantes.

Portanto essas variações são comuns e normais, e na maioria das vezes não representam problemas de saúde, existem atletas que podem apresentar batimentos cardíacos abaixo de 60 BPM.

Quando as Variações Cardíacas Merecem Atenção

frequência cardíaca

O coração é um músculo ligado ao cérebro e ao corpo por estímulos nervosos, esses estímulos determinam o quanto o coração necessita trabalhar determinando também a frequência cardíaca que é influenciada por diversos fatores (sexo, peso, idade, emoções, medicamentos, esforço físico, temperatura, doenças cardíacas).

Em alguns casos, a frequência cardíaca pode apresentar uma variação muito grande, alertando para possíveis problemas cardíacos.

A frequência cardíaca alta ou baixa significa que o coração tem que trabalhar muito mais para bombear o sangue e podem indicar alguma doença cardíaca

Frequência Cardíaca Alta (Taquicardia)

É o ritmo cardíaco irregular ou frequentemente rápido, acima de 100 bpm, podendo chegar a até 400 bpm. A frequência cardíaca alta faz com que o coração seja incapaz de bombear o sangue com a eficiência necessária.

Seus sintomas são: atordoamento, falta de ar, desmaios, fraqueza súbita, palpitação e tontura.

Causas da Frequência Cardíaca Alta

São vários os fatores relacionados às causas da taquicardia, dentre eles encontramos:

  • Estresse emocional, hipertensão;
  • Ingestão de grandes quantidades de bebidas alcoólicas ou cafeinadas;
  • Aterosclerose, doença cardíaca valvar, insuficiência cardíaca, cardiomiopatia, tumores ou infecções;
  • Distúrbios da tireoide, doenças pulmonares.

Frequência Cardíaca Baixa (Braquicardia)

Caracterizada por batimentos menores que 60 bpm, pode causar danos ao organismo com a menor circulação do sangue bombeado, levando quantidade menores de oxigênio às células, inclusive as do cérebro que podem ficar sem ar e morrer. Pode causar também baixa da pressão arterial devido ao esforço mínimo do músculo cardíaco.

A frequência cardíaca baixa é também indicativo de problemas cardíacos como bloqueio cardíaco ou disfunção do nódulo sinusal quando acompanhada de cansaço, tonturas ou falta de ar.

Causas da Frequência Cardíaca Baixa

Pode ocorrer devido ao envelhecimento, ou à utilização de alguns medicamentos para o controle de doenças coronárias que causam efeitos colaterais.

 


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (30 votes, average: 4,47 out of 5)
Loading...