Cisto no ovário


O cisto no ovário é uma pequena lesão que não costuma provocar muitos sintomas, pode desaparecer sozinho ou acarretar diversos problemas. É uma alteração benigna que acomete algumas mulheres jovens e idosas e não possui nenhuma relação com o câncer. O cisto no ovário tem tratamento e no artigo deste post você saberá quais as causas, sintomas e cuidados para lhe dar com o problema, confira!

O que é e como surge o cisto?

O cisto pode surgir em qualquer parte do corpo. Normalmente é uma bolha, envolta de uma fina membrana que tem ar ou substâncias líquidas em seu conteúdo. Podem se desenvolver nos rins, pele, fígado, pâncreas, mamas, cérebro e ovário – local que iremos analisar hoje.

De natureza benigna e raramente malignos, a única pessoa que pode dar um parecer do cisto no ovário é um profissional da saúde, o ginecologista após avaliação de exames de sangue ultrassom e laparoscopia.

Tipos de Cisto

Há muitos tipos de cisto no ovário. Alguns são mais simples outros mais complexos. Os mais comuns são os cistos funcionais que surge durante o processo de ovulação. Confira alguns tipos:

Cisto folicular

As variações hormonais estimulam o crescimento de um folículo ovariano. Quando esse folículo se rompe libera o óvulo em direção a uma das trompas promovendo a ovulação. Se o folículo não se romper, ele vai acumulando líquidos em seu interior e a crescer até formar um cisto. O folículo não rompido, com 2,5 centímetros de diâmetro é denominado cisto folicular.

Cisto de corpo lúteo

Aparece depois da liberação do óvulo. Some sem tratamento. O uso de remédios para tratar infertilidade aumenta o risco de cisto de corpo lúteo. Citrato de clomifeno – Clomid, Indux, Serofene, são alguns dos que promovem esse problema.


Cisto hemorrágico

Quando há sangramento na parede do cisto para o seu interior. Normalmente causa dor pélvica.

Cisto dermoide

Conhecido também como teratoma cístico maduro. Em algumas mulheres é preciso fazer tratamento através da laparoscopia – exame endoscópico da cavidade abdominal e de seu conteúdo, feito sob anestesia geral – é mais comum em mulheres entre 20 a 40 anos e por mais que normalmente seja um quadro benigno pode se transformar em maligno, ou seja, canceroso. Alguns chegam a ultrapassar 10 centímetros de diâmetro.

Endometrioma ovariano

Acontece quando a mulher desenvolve endometriose nos ovários. Muitas vezes tratados com remédios ou cirurgia. São dolorosos, especialmente no período menstrual ou durante o sexo. Quando se rompem podem fazer com que a mulher tenha dor abdominal intensa e febre baixa.

Cistoadenoma

Cisto no ovário benigno, que necessita ser retirado por laparoscopia e pode atingir até 20 centímetros de diâmetro.

Cistos de corpo lúteo, endometriomas ou dermoides são detectados em exames de ultrassonografia ou ressonância magnética e não são confundidos com nada malignos. Quando há desconfiança de algo, são pedidos exames de sangue para analisar a dosagem do CA 125. Isso ajudará a discernir tumores malignos dos benignos. Cerca de 80% dos casos de câncer tem como resultados doses dobradas nesta avaliação.

Sintomas de cisto no ovário

Algumas pessoas passam muito tempo sem sentir nenhum sintoma, enquanto outras pessoas sofrem com diversos problemas. Se você tem algum dos sinais abaixo, talvez esteja na hora de procurar um ginecologista.

cisto no ovário

  • Atraso na menstruação;
  • Sensibilidade constante nas mamas;
  • Dor durante as relações;
  • Sangramento fora do período menstrual;
  • Cansaço fácil;
  • Dificuldades para engravidar;
  • Enjoos e vômitos;
  • Dor na região pélvica – súbita e forte – acompanha enjoos e normalmente é um sinal de torção do suprimento sanguíneo do ovário ou da ruptura de um cisto com sangramento interno.

Quando o cisto no ovário pode se transformar em câncer?

Mulheres idade fértil raramente têm tumor de ovário. Menos de 1% dos cistos representam algum tipo de tumor maligno. Entretanto mulheres na pós-menopausa tem uma incidência maior de cisto, benignos também, mas que necessitam de maior atenção para que não se desenvolva nada mais grave.

Cisto no ovário normalmente não deixam a mulher infértil e também não alteram o ciclo da menstruação, com exceção da endometriona. Os sintomas aparecem quando:

O cisto está em crescimento

Nessa fase a mulher pode sentir dor ou sensação de peso na região pélvica ou abdominal. Surgem dores no ato sexual, mais vontade de urinar, dificuldade para evacuar e ganho de peso.

Quando o cisto se rompe

Dor intensa e de modo súbito na pelve. As rupturas acontecem durante um esforço físico ou na relação sexual. Não provocam hemorragias, apenas algum sangramento vaginal.

Quando há torção do cisto

Nesse caso ele cresceu demais e pode girar em torno de si ocasionando uma torção do cisto. A dor é a mesma da ruptura e pode ser tão forte a ponto de gerar náuseas e vômitos.

Formas de tratamento do cisto no ovário

Em mulheres mais jovens, os cistos não precisam de tratamentos. Os sintomas desaparecem dentro de um ou dois meses. Para checagem, o ginecologista pode pedir uma ultrassonografia para saber se o cisto sumiu ou aumentou, dentro desse prazo de 8 semanas.

Caso o cisto seja maior do que cinco centímetros e as dores intensas será necessário acompanhamento médico e uma frequência maior de exames, para que o cisto não evolua para um quadro de endometriose.

Independente do seu tamanho o cisto no ovário não tem relação direta com a possibilidade de se desenvolver um câncer.

Em mulheres após a menopausa, a aparência do cisto quando se faz um ultrassom e o valor do CA 125, auxiliam no controle da boa saúde. A forma benigna junta com o valor abaixo do 125 só deverão ser acompanhados já que não desaparecem sozinhos.

O tratamento ideal dependerá dos sintomas e do tamanho do cisto no ovário. Algumas vezes ele desaparece sozinho, outras necessitam de tratamento e em alguns casos é preciso a extração através de um ato cirúrgico.

Muitas vezes o tratamento com anticoncepcionais são eficaz e não permitem que novos cistos se desenvolvam no ovário.

Como prevenir cisto no ovário

Geralmente não há como prevenir o surgimento de cisto no ovário, mas a realização de exames ginecológicos frequentes previne o aparecimento de complicações. Se algo for detectado logo no início, as formas de cuidados são mais rápidas e a mulher sofre menos.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (3 votes, average: 3,67 out of 5)
Loading...