Aterosclerose: O perigo do acúmulo do colesterol


Hoje em dia as pessoas tem se preocupado mais com a saúde do que em anos passados. A busca por uma vida natural tem sido tão procurada principalmente para evitar as doenças que tem se tornado comum, como a aterosclerose.

Esse problema é causado principalmente pelo hábito alimentar deficiente, com um consumo de colesterol alto que forma o seu acúmulo e entope as artérias. Quando essa barreira é formada nas artérias do coração e nas vias respiratórios os problemas que podem surgir são ainda mais graves e podem levar à morte. É preciso entender essa doença e evitar os fatores que propiciam o seu aparecimento.

Afinal, o que é aterosclerose?

É uma doença considerada como doença inflamatória crônica, que é originada a partir do acúmulo de ateromas dentro das vias sanguíneas. Os ateromas são um conjunto de compostos que se formam na parede dos vasos sanguíneos, é composto por lipídios e tecido fibroso, e o seu volume irá aumentando progressivamente até o momento que poderá causar uma obstrução total impedindo que o sangue circule livremente.

O colesterol ruim (LDL) é o principal causador do problema, quando ele penetra a parede do vaso, chegando à parte mais íntima e no local é fagocitado. Quando o nível da doença é mais avançado, a aterosclerose é caracterizada pela lesão placa fibrosa.

Quais são os sintomas?

Esse é um tipo de doença que não apresenta sintomas imediatamente. Normalmente o paciente começa a sentir algum incômodo após 1 ano, com um agravamento do problema. Por isso é importante que assim que sentir qualquer um dos sintomas abaixo, o médico seja consultado com urgência.

O primeiro incômodo que a aterosclerose provoca é a dor aguda na região do bloqueio da passagem sanguínea.


Os sintomas irão variar de acordo com o local danificado.

  • Aterosclerose coronária: Esse é o tipo que ocorre por conta da não circulação efetiva do sangue e do oxigênio no coração. Nesse caso além da dor (que pode variar de acordo com o paciente) pode haver fadiga e falta de ar ao praticar atividades físicas ou fazer algum tipo de esforço. Também é comum sensação de desmaio, tosse e vômito.·.
  • Aterosclerose carotídea: Acontece quando o bloqueio da circulação impede o bom funcionamento do cérebro. Nesse caso existirão fenômenos transitórios, como tontura, dor de cabeça, falta de ar e até paralisia cerebral.
  • Aterosclerose renal: Quando o sangue que chega aos rins é impedido. Isso causa um inchaço em mãos e pés, o paciente perde o apetite e desenvolve uma dificuldade de concentração.

Quando há sinal de dor nas pernas ao caminha, queda de pelo nas pernas, palidez nos dedos, pode ser sinal de aterosclerose nessa região.

Diabéticos apresentam além dos sintomas comuns uma sensação de fraqueza.

Quais são os fatores de risco?

O envelhecimento do ser humano é um fator natural que propicia o desenvolvimento de várias doenças cardíacas, mas existem outros fatores que colaboram com o desenvolvimento da aterosclerose.
São eles:

  • Colesterol alto;
  • Tabagismo;
  • Doenças renais crônicas;
  • Pressão arterial elevada;
  • Diabetes;
  • Obesidade;
  • Histórico de doença cardíaca na família;
  • Sedentarismo.

Além de outras doenças que tornam o paciente um possível portador da aterosclerose, dá para perceber que o costume de hábitos maléficos também auxilia ao desenvolvimento do problema. Fumar, beber em excesso, ingerir alimentos ricos em colesterol e não se movimentar são fatores que levam o paciente a um passo da doença.

Diagnóstico da aterosclerose

Assis que os sintomas apresentados aqui forem observados, o paciente precisa procurar atendimento médico com uma certa urgência.

Na consulta será necessário explicar todos os sintomas que estão ocorrendo, explicar se há histórico familiar de doença cardíaca e a partir disso realizar uma série de exames que serão indicados. São vários testes que poderão ser feitos para diagnosticar a aterosclerose, e o médico irá te recomendar o mais propício.

aterosclerose

Entre eles estão:

  • Ecocardiograma;
  • Angiografia;
  • Teste de esforço físico;
  • Teste de esforço nuclear;
  • Angiografia através da ressonância magnética;
  • Eletrocardiograma (ECG);
  • Ultrassonografia com doppler.

Tratamento

Para cuidar do problema o especialista poderá indicar a utilização de medicamentos para resolverem a causa do problema. É comum que sejam prescritos remédios para estabilizar o nível alto de colesterol e para controlar a diabetes.

O medicamento mais comum usado no tratamento da Aterosclerose é o Cresto, no entanto, é essencial que o remédio não seja consumido sem orientação médica. O uso indevido de qualquer medicação pode não só agravar o problema como criar outros.

É muito importante seguir o tratamento da forma correta, sem interrupções. Dependendo do grau do problema e dos sintomas apresentados, o tratamento sofre alteração. Em casos especiais é necessário fazer intervenção cirúrgica. Existem duas formas de cirurgia:

  • Cirurgia de revascularização;
  • Angioplastia e colocação de stent (intervenção coronariana percutânea – ICP).

Dá para prevenir?

Dá sim! Alguns fatores de risco podem ser controlados se você criar hábitos saudáveis. Na verdade a forma mais correta de evitar a aterosclerose é mantendo uma rotina saudável e evitando hábitos prejudiciais.

Hoje em dia é muito comum que as pessoas já tentem levar uma vida mais saudável, com hábitos saudáveis.  A forma de prevenção é basicamente essa, remodelando hábitos e absorvendo para o dia a dia, fatores positivos.

Separamos as melhores formas de prevenção. Além de auxiliar com relação a aterosclerose, o paciente acabará beneficiando o corpo inteiro com saúde. São eles:

  • Não fume;
  • Evite ingerir bebida alcoólica em excesso;
  • Se mantenha dentro do peso ideal;
  • Faça atividades físicas regularmente;
  • Ingerir Ômega 3 é benéfico;
  • Faça tratamento para depressão (caso tenha);
  • Evite ingerir sal em excesso.

Como conviver com a doença?

Primeiro passo é seguir á risca as recomendações de tratamento do especialista. Cumprindo com a ingestão das medicações com a dosagem recomendada e pelo período indicado. Não altere a forma de tratamento recomendada pelo médico.

Muita gente deixa de tomar o remédio quando acredita que os sintomas desapareceram. Não faça isso! O sumiço dos sintomas não significa que a doença foi curada. Muitas vezes, a interrupção faz com que o problema volte com mais força, sendo mais difícil controla-lo.

Os hábitos que precisam ser desenvolvidos e evitados para prevenção da doença também são essenciais para o prognóstico da aterosclerose. Mantenha uma rotina mais saudável, desde a ingestão dos alimentos, da quantidade recomendada de água e da prática de atividades físicas diariamente.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...