Arritmia: O que é, quais são os fatores de riscos e quais as formas de tratamento


É comum em alguma vez na vida sentirmos o coração acelerar, ou sentimos algumas coisas como palpitações. Na maioria dos casos o que acontece se chama arritmia que, basicamente, é um problema de saúde que altera os batimentos cardíacos regulares do nosso coração.

A arritmia, que também é conhecida como taquicardia, disritmia, palpitação e braquicardia, acontece em três situações diferentes: quando o coração bate muito mais rápido que o normal, quando o ritmo dele é muito mais lento, ou quando o ritmo cardíaco está desregulado podendo ficar rápido e lento em questão de segundos.

Identificando os padrões da arritmia

  • Taquicardia: Esse é tipo de arritmia identificado pelo ritmo cardíaco mais acelerado que o normal.
  • Bradicardia: Quando o ritmo cardíaco está abaixo do que é considerado normal.
  • Irregulares: Nesse caso os batimentos não representam um padrão, mais lento ou mais rápido que o comum.

Diferentes tipos de arritmia

  • Taquicardia atrial multifocal;
  • Fibrilação atrial ou palpitação;
  • Doença do nódulo sinusal;
  • Obstrução do coração ou obstrução atrioventricular;
  • Fibrilação ventricular;
  • Taquicardia paroxística supraventricular;
  • Taquicardia ventricular: quando o motivo da aceleração do coração se origina nos ventrículos.

O que causa arritmia cardíaca?

O cérebro tem o auxílio de um sistema elétrico que faz com que as contrações que impulsionam o sangue pelo corpo aconteçam de forma periódica e ordenada. No seu normal, o órgão é capaz de desempenhar muito bem a função de bombear o sangue pelo nosso corpo sem se esforçar além do que é necessário.

Quando existem mudanças nessas contrações, a arritmia pode acontecer. É comum que seja motivada por conta da alteração dos impulsos feitos pelo sistema elétrico.


Vários problemas podem causar esse “atrapalhamento” e desregulação do bombeamento do coração. Veja a seguir o que colabora para que o indivíduo contraia esse tipo de problema:

  • Alcoolismo;
  • Fumo;
  • Diabetes;
  • Infarto (Ataque cardíaco);
  • Artérias entupidas;
  • Consumo de drogas ilícitas;
  • Ingestão exagerada de cafeína;
  • Poluição do ar;
  • Choque elétrico;
  • Desgaste no tecido do coração.

Como alguns dos fatores causadores da arritmia se baseiam em hábitos, é importante evitá-los e no lugar deles construir hábitos saudáveis, como a uma boa alimentação, a ingestão de água na quantidade adequada e a prática de exercícios físicos.

Além desses costumes que podem propiciar a arritmia, existem também grupos de risco para essa doença. Entre eles estão os diabéticos, as pessoas que consomem energéticos e suplementos alimentares com frequência, pessoas com estresse, hipertensos, pacientes com problemas na tireoide e quem possui níveis anormais de eletrólitos no sangue.

Quais são os sintomas?

Como a arritmia pode ser tanto pela aceleração do coração quando pela diminuição do batimento cardíaco, os sintomas podem variar. Em alguns casos não há sintoma nenhum, e é o médico que descobre o problema através de exames.

arritmia

No geral, os sintomas que podem aparecer são:

  • Tontura;
  • Palidez;
  • Desmaio;
  • Dor no peito;
  • Sudorese;
  • Batimento mais acelerado do coração;
  • Batimento mais lento do coração.

Diagnóstico

É muito importante que o paciente se dirija a uma unidade de saúde e procure se consultar com um cardiologista assim que os sintomas forem evidentes. Só um especialista é capaz de entender o problema e a causa dele, procurando uma forma de tratamento adequada.

No caso da consulta médica, além dos sintomas que serão descritos para o médico, ele provavelmente pedirá que o paciente se submeta à realização de alguns exames, como o eletrocardiograma, o Ecocardiograma, Monitoramento Holter e Monitoramento de arritmias esporádicas.

Caso esses exames não sejam suficientes para identificar o problema, outros poderão ser solicitados: Tilti teste, Exame de Estresse e Estudo Eletrofísico

Tratando a arritmia

Após a constatação do problema e do seu padrão o seu médico irá passar a forma de tratamento adequada. É muito importante que as recomendações sejam seguidas corretamente, sem interrupção.

São várias as formas de tratamento, mas em casos graves é necessário auxílio médico de forma urgente para que o coração volte ao seu ritmo normal. Essa intervenção emergencial pode ser feita através de choque elétrico, medicações intravenosas e com a introdução de um marca-passo temporário.

Drogas antiarrítmicas também são utilizadas. Existem dois tipos de medicamentos que são utilizados para controlar a arritmia cardíaca: o Ancaron e o Digoxina.

No entanto é importantíssimo que esses produtos só sejam consumidos com orientação médica. Tomar remédios por conta própria pode gerar problemas sérios à saúde. Não se automedique.

Se por acaso esses métodos não resolverem o problema da arritmia é bem provável que o paciente precise passar por uma intervenção cirúrgica.

Tipos de cirurgia

São duas as formas cirúrgicas para o caso da arritmia. O paciente poderá passar por uma cirurgia cardíaca de aberta (que é muito incomum nos dias de hoje) e a ablação por cateter. O segundo tipo é feito através de uma microcirurgia onde dois furos de agulhas são feitos na perna, por onde serão introduzidos cateteres finos que irão até o coração.

O tipo de cirurgia irá depender muito da gravidade do seu problema.

Como posso prevenir a arritmia cardíaca?

Como vimos, as causas desse problema são hábitos prejudiciais e problemas de saúde. Não existem medicamentos, por exemplo, que ajudem na prevenção desse problema. O que os médicos e especialistas da área recomendam para alguém que quer evitar a arritmia é a mudança total de hábitos.

O indivíduo precisa cultivar hábitos saudáveis que são simples e podem mudar toda a sua estrutura corporal. É necessário aprender a se alimentar da forma correta, colocando na dieta alimentos ricos em nutrientes, fibras, ferro, ômega 3.

É preciso também manter o hábito da prática de exercícios físicos diariamente. Outro fator importante é a ingestão da quantidade recomendada de água por dia, além de evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica, o cigarro e o consumo de drogas.

Com isso você manterá o seu corpo todo saudável e evitará, principalmente, problemas relacionados ao coração. É muito difícil que alguém que leva uma vida saudável, se preocupando com esses fatores desenvolva certos problemas.

É essencial também, para se prevenir da arritmia cardíaca, que o indivíduo busque se consultar periodicamente com o médico. Fazer exames de rotina é uma das formas mais eficazes de prevenir qualquer tipo de problema de saúde.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (3 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...